sábado, 17 de abril de 2021

Nasa escolhe SpaceX para pousar astronautas na Lua

A Nasa, a Agência Espacial Americana, anunciou que fechou um contrato com a SpaceX, do bilionário Elon Musk, para pousar astronautas americanos na Lua.

O contrato com a SpaceX tem um valor de US$ 2,89 bilhões (mais de R$ 16 bilhões de reais). A empresa de Elon Musk venceu a concorrência com a Blue Origin(de Jeff Bezos, dono da Amazon) e a Dynetics.

Módulo da SpaceX que pousará astronautas da Nasa na Lua

A SpaceX irá desenvolver um módulo de pouso que será usado para pousar na Lua. A Nasa usará um foguete próprio, o SLS (Space Launch System), para levar os astronautas até a órbita da Lua a bordo da nave Orion, depois serão transferidos para o módulo fabricado pela SpaceX que será usado para descer até a superfície da Lua.

A SpaceX já tem contratos com a Nasa, foi com um foguete da empresa, o Falcon 9, que a agência enviou astronautas para a Estação Espacial Internacional em novembro de 2020.

A Nasa quer enviar astronautas à Lua até 2024, será a primeira vez que o homem voltará ao satélite desde o fim das missões Apollo em 1972.

A Nasa quer estabelecer presença na Lua com o objetivo de enviar missões para Marte. Tudo isso faz parte do programa Artemis, que pretende levar os humanos para a Lua.

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Estados Unidos quer criar foguete movido a energia nuclear

A Darpa, a divisão de pesquisa do Ministério da Defesa dos Estados Unidos, quer criar um foguete movido a energia nuclear até 2025. O projeto ainda é embrionário e os engenheiros não estão muito otimistas com o poder que a nave terá, já que acreditam que ela não será capaz de escapar da força gravitacional da Terra. Uma solução para o problema seria colocar o foguete em órbita nas costas, o que possibilitaria a propulsão para um destino secundário. Para tornar o projeto realidade será preciso criar uma nova tecnologia.

Foguete será movido a energia nuclear

Mas o principal o objetivo do projeto nem é colocar naves espaciais em órbita, eles querem mesmo é tornar mais fácil manobrar satélites e naves que estão em órbita.

“No ar, no solo e no mar, a manobrabilidade é uma capacidade crítica. A propulsão térmica nos dará essa agilidade no espaço”, disse Nathan Greiner, gerente de projetos da Darpa.

O projeto também pode facilitar a chegada à Lua e a Marte, o que pode aumentar a viabilidade do estabelecimento de estações espaciais e postos avançados de pesquisa nesses locais, além disso viabilizaria também viagens tripuladas para esses mundos de forma segura.

quarta-feira, 14 de abril de 2021

Asteroide de 550 metros passará perto da Terra

Se você é daqueles que morre de medo ou deseja o fim da humanidade saiba que no dia 21 de março um grande asteroide irá passar bem perto da Terra. Mas calma, não há pelo que ter medo, ele vai passar longe o suficiente para não representar perigo para o planeta.

Asteroide passará perto da Terra

O asteroide chama-se 2001 FO32, que foi descoberto em 23 de março de2001 pelo Observatório LINEAR (Lincoln Near-Earth Asteroid Research) no Novo México, nos Estados Unidos. Ele tem cerca de 550 metros, pesa cerca de 240 milhões de toneladas e está entre os mais velozes asteroides próximos à Terra. Ele passará próximo a Terra a uma velocidade de 124 mil quilômetros por hora.

Quando foi descoberto há duas décadas atrás os astrônomos estimaram seu tamanho em cerca de 1 km, o calculo foi feito com base em seu brilho observável. Mas medições recentes e mais precisas feitas pelo telescópio NEOWISE indicam um diâmetro médio em torno de 550 metros, mas pode ser que ele tenha entre 440 e 680 metros.

Felizmente não há nenhum risco de impacto com a Terra, ele passará a 2 milhões de quilômetros da Terra. Deverá ser o maior asteroide a passar perto da Terra em 2021.

Ele recebeu o número de identificação 231937, mas ainda não tem um nome definitivo.

terça-feira, 6 de abril de 2021

The Line, a cidade futurística em linha reta da Arábia Saudita que não terá carros

Já imaginou morar em uma cidade totalmente em linha reta e sem carros? Assim será The Line, uma cidade futurística que a Arábia Saudita quer construir no meio do deserto.

The Line será uma cidade em linha reta e terá 170 quilômetros de comprimento e não terá carros nem ruas, o único meio de transporte que terá será o metrô e outros veículos subterrâneos de alta velocidade.

The Line será uma cidade em linha reta com 170 km de extensão

A cidade será formada por diversas vilas ao longo dos seus 170 quilômetros de extensão que serão interligadas por uma linha de metrô subterrânea. A cidade foi planejada para que as pessoas possam fazer as coisas rapidamente, tudo estará a apenas 5 minutos de casa, sem perder muito tempo com meios de transporte, a viagem mais longa terá 20 minutos.

The Line foi planejada para ter um milhão de habitantes. Todos os serviços públicos ficarão no subsolo, assim como o metrô.

The Line terá dois níveis no subsolo onde será ofertados os serviços para a população
 e o transporte de alta velocidade

Na verdade, The Line será apenas uma parte da megacidade inteligente chamada Neom, na província de Tabuk. The Line ligará a costa do Mar Vermelho as montanhas e vales superiores do noroeste da Arábia Saudita. Segundo o projeto, mais de 40% da população mundial está a apenas 4 horas de voo da cidade, além disso 13% do comércio mundial passa pelo Mar Vermelho.

Ilustração mostra como será o serviço de transporte subterrâneo
 de alta velocidade em The Line

A construção de The Line criará 380.000 empregos e o objetivo é ajudar a diversificar a economia da Arábia Saudita, que é muito dependente do petróleo.

A cidade será alimentada por energia 100% renovável. As comunidades viverão em harmonia com a natureza, onde espaços abertos, parques, jardins, o ambiente natural e a produção sustentável de alimentos se misturam perfeitamente.

Deserto onde será construída The Line

Todas as empresas e comunidades na THE LINE estarão hiperconectadas por meio de uma estrutura digital que incorporará Inteligência Artificial e robótica que continuamente aprendem e crescem - mais de 90% dos dados no NEOM serão analisados ​​para fornecer um sistema preditivo com serviços cada vez melhores para os residentes e negócios.

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Mural de 3,2 mil anos é descoberto no Peru

Um mural pré-hispânico de cerca de 3,2 mil anos atrás foi encontrado por arqueólogos no norte do Peru. O mural foi encontrado em um terreno agrícola onde ficava um centro cerimonial e foi parcialmente destruído por agricultores que plantavam abacates e cana de açúcar no terreno.

"Encontramos casualmente um mural de mais de 3,2 mil anos de idade em uma 'huaca' pré-hispânica, situada em um terreno agrícola da região de La Libertad", disse o arqueólogo Feren Castillo.

Mural pré-hispânico encontrado no Peru

A pintura fica sobre um fundo branco e os desenhos das figuras se destacam pelas cores ocre, amarela, cinza e branca.

"O mural com a figura de uma aranha com uma faca se encontra em um edifício de aproximadamente 15 metros de diâmetro por 5 metros de altura'", detalhou Castillo.

A aranha é uma divindade própria da cultura Cupisnique e aparece com mais frequência em seus vasos e pratos de pedra. A imagem é associada à fertilidade.

Mural pré-hispânico encontrado no Peru

A cultura Cupisnique foi descoberta em 1930 por Rafael Larco, essa cultura antiga se desenvolveu durante a Época Formativa, há 3 mil anos, nos vales de Virú e na região de Lambayeque.

"Uma das evidências desta estrutura arqueológica é que sua localização é estratégica por estar perto do rio. A iconografia que estamos observando a olho nu, porque ainda não foram feitas pesquisas, é que foi um templo dedicado às divindades da água", disse o arqueólogo Régulo Franco.

Régulo Franco é conhecido por ter encontrado o fardo funerário da Senhora de Cao, uma das mulheres mais poderosas do período pré-hispânico.

A descoberta do mural foi feita por acaso em um terreno agrícola em um vale na província de Virú, na região de La Libertad, a 500 km ao norte de Lima.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...