domingo, 11 de novembro de 2018

Conheça os "irmãos Wayans", famosa família de atores de Hollywood

Famílias em que vários ou todos possuem talento para desempenhar uma mesma função são especiais e hoje você vai conhecer uma família de irmãos atores que conquistou muito sucesso em Hollywood, estamos falando dos "irmãos Wayans".

Os "irmãos Wayans"

Talvez você nunca tenha ouvido falar dos "irmãos Wayans" ou não se lembre, mas com certeza já viu pelo menos um deles por aí na tv ou em filmes, os "irmãos Wayans" é formado pelos atores Keenen Ivory Wayans, Shawn Wayans, Marlon Wayans e Damon Wayans, o mais famoso de todos. Conheça abaixo cada um deles:

Keenen Ivory Wayans

Keenen Ivory Wayans

Keenen Ivory Wayans é o mais velho dos famosos "irmãos Wayans", nasceu em 8 de junho de 1958, em Nova York, ele, além de ator, é comediante e diretor, é mais famoso por ter criado a famosa série de televisão In Living Color, que fez sucesso na década de 1990, a também muito bem sucedida série de filmes de comédia Scary Movie(Todo Mundo em Pânico) e também o filme O Pequenino.

Shawn Wayans

Shawn Wayans

Shawn Wayans nasceu em 19 de janeiro de 1971, em Nova York, assim como os irmãos é comediante, é mais conhecido por ter participado de produções de sucesso ao lado de seus irmãos, como na série In Living Color, nos filmes Todo Mundo em Pânico 1 e 2, As Branquelas e em O Pequenino.

Marlon Wayans

Marlon Wayans

Marlon Wayans é famoso por, assim como os irmãos, ter participado da série In Living Color, e de filmes de comédia como Todo Mundo em Pânico 1 e 2, O Pequenino e Inatividade Paranormal 1 e 2.

Damon Wayans

Damon Wayans

Damon Wayans é o mais famoso dos "irmãos Wayans", ele é conhecido por estrelar a famosa série de tv Eu, a Patroa e as Crianças, fez também In Living Color e Máquina Mortífera. Nasceu em 4 de setembro de 1960, em Nova York.

A famosa "família Wayans" é formada também pela atriz Kim Wayans, que é menos conhecida que os irmãos, no total são dez irmãos, mas nem todos são atores.

A "família Wayans" criou a sua própria produtora, a Wayans Bros.

sábado, 10 de novembro de 2018

O especialista em cobras que foi picado e registrou os sintomas até a morte

Já pensou se você fosse mordido por uma cobra, o que você faria? Provavelmente procuraria um hospital imediatamente. Mas não foi isso que fez um famoso especialista em repteis e anfíbios. Karl Patterson Schmidt era um herpetologista, especialista em anfíbios e répteis, e trabalhava no Museu de História Natural da cidade de Chicago, nos Estados Unidos, ele recebeu uma cobra de aproximadamente 76 centímetros de espécie não identificada.

Karl Patterson Schmidt registrou em diário os sintomas da picada da cobra até a morte

Schmidt era um reconhecido especialista em cobras, de grande prestígio na área, e era tão bom em identificar espécies que chegou a batizar dezenas delas.

Em 25 de setembro o pesquisador registrou que a cobra era de origem africana, que estava coberta com padrões de cores vivas e que tinha um formato de cabeça semelhante a de uma boomslang, um tipo de cobra venenosa que vive na África sub-saariana.

O herpetologista, no entanto, tinha dúvidas sobre se se tratava mesmo de uma boomslang, uma vez que, como escreveu em seu diário, a "placa anal da cobra não estava dividida".

A  cobra que picou Karl Patterson era uma boomslang

O que ele fez em seguida acabaria lhe custando a vida: ergueu a cobra para examiná-la mais detalhadamente.

Enquanto a observava, impressionado com as características incomuns que via, acabou picado no polegar esquerdo.

O animal o deixou dois furos no dedo, sangrando, com três milímetros de profundidade.

Schmidt começou a chupar a ferida e em vez de procurar atendimento médico, voltou ao diário de anotações e começou a registrar os efeitos do veneno sobre ele. Vinte e quatro horas depois, estaria morto.

Uma das hipóteses levantadas na época é que Schmidt não acreditava que a mordida da cobra seria fatal.

Ele pegou o trem para casa e continuou registrando no diário os efeitos que observava e sentia:

O último dia

"16h30 - 17h30 Forte enjoo, mas sem vômitos." Viagem para Homewood em um trem suburbano.

17h30 - 18h30 Muito frio e tremores, seguidos por uma febre de 38,7ºC. Sangramento das membranas mucosas na boca começou por volta das 17:30, aparentemente principalmente na gengiva.

18h30 Comi duas torradas.

21h00 às 12h20 Dormi bem. Urinei às 12:20 da manhã, principalmente sangue, mas uma pequena quantidade. Tomei um copo d'água às 4:30 da manhã, seguido de enjoo e vômitos violentos, sendo que o conteúdo do estômago era o jantar não digerido. Me senti muito melhor e dormi até as 6h30 da manhã. ".

Depois de acordar, Schmidt continuou sua manhã como de costume. Tomou café da manhã e seguiu registrando no diário suas reações ao veneno.

"26 de setembro, 6h30 da manhã. Temperatura 36.8ºC. Comi cereais e ovos cozidos sobre torradas, molho de maçã e café no desjejum. Não há urina, mas cerca de 30 ml de sangue a cada três horas. A boca e o nariz continuam sangrando, não excessivamente".

"Excessivamente" foi a última palavra que escreveu.

Depois do almoço, por volta das 13h30, ele vomitou e ligou para a esposa. Quando a ajuda chegou, Schmidt estava inconsciente e seu corpo estava coberto de suor.

Um médico tentou reanimá-lo até chegarem ao hospital. Às 15h, ele foi declarado morto devido à "paralisia respiratória".

O veneno

O veneno da boomslang age rapidamente. Apenas 0,0006 miligramas podem matar uma ave em minutos.

O veneno causa coagulação intravascular disseminada, fazendo com que as vítimas sangrem até a morte.

Segundo o relatório da autópsia de Schmidt, pulmões, olhos, coração, rins e o cérebro dele estavam sangrando.

O jornal Chicago Daily Tribune informou que Schmidt foi aconselhado a procurar ajuda médica algumas horas antes de morrer. Mas recusou, dizendo: "Não, isso alteraria os sintomas".

Alguns acreditam que a morte de Schmidt foi um caso de "a curiosidade matou o cientista".

Outros, no entanto, ressaltam que, sendo especialista em herpetologia, Schmidt certamente sabia que o antídoto para o veneno da boomslang só estava disponível na África. Em outras palavras, existe a possibilidade de ele simplesmente ter aceitado a própria morte.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Daveigh Chase, a macabra Samara Morgan de O Chamado

Daveigh Chase é uma atriz americana, famosa por ter interpretado a tenebrosa e macabra Samara Morgan no filme O Chamado, de 2002. Quando interpretou Samara Morgan, Daveigh Chase tinha apenas 12 anos. Ela nasceu em 24 de julho de 1990, em Las Vegas, no estado de Nevada.

Daveigh Chase, a Samara Morgan de O Chamado,
 quem diria que a Samara fosse tão linda, né?
A macabra Samara Morgan, personagem interpretada por Daveigh Chase em O Chamado

Ela também é quem dá a voz original da famosa personagem de desenho animado Lilo, de Lilo & Stitch. Ela também é cantora. Além de O Chamado outro filme em que atuou foi em Beethoven 5.

Daveigh Chase

Mas ela tem se envolvido em confusão nos últimos tempos, em fevereiro de 2017 ela deixou um rapaz morto por overdose na porta de um hospital em Los Angeles e fugiu. Depois, ainda em 2017, foi presa após ser flagrada em um carro roubado com um amigo, teve fiança estipulada em U$$ 25 mil dólares.

A pequena Samara Morgan(Daveigh Chase), em O Chamado
Daveigh Chase tem se envolvido em confusão envolvendo a polícia

E os casos envolvendo a polícia não pararam por aí, já em agosto de 2018 ela foi presa novamente, dessa vez por apenas 2 horas, por estar com posse de uma droga controlada, ela foi liberada após pagar fiança de U$$ 1 mil dólares.

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Jovem morre na Austrália 8 anos depois de comer lesma e ter o corpo paralisado

O ex-jogador de rúgbi Sam Ballard, de 28 anos, morreu na sexta-feira (2) vítima de um verme que contraiu há oito anos após comer uma lesma durante uma aposta com amigos em Sidney, na Austrália. Uma doença causada pelo parasita deixou quase todo o corpo do jovem paralisado durante esse tempo.

Sam Ballard, após comer uma lesma contraiu doença que o deixou paralisado e acabou o matando

De acordo com depoimentos dados à imprensa australiana, Ballard bebia vinho em um encontro com os amigos quando o grupo percebeu uma lesma passar pelo chão do terraço onde estavam. Provocado pelos companheiros, o jovem, à época com 19 anos, engoliu o animal vivo.

Somente dias depois, Ballard começou a se sentir mal. Primeiro, dores nas pernas. Ele e a família, então, procuraram um médico – suspeitava-se de esclerose múltipla, doença que acometeu o pai do rapaz.

Mas diagnóstico mostrou que Ballard contraiu meningite eosinofílica, uma das doenças causadas pelo verme Angiostrongylus cantonensis. Lesmas e caramujos são hospedeiros naturais desse parasita, que, muitas vezes, é contraído após esses moluscos consumirem fezes de rato.

A maioria dos casos não evolui para complicações. Em Ballard, porém, a doença o deixou em coma por 420 dias. Quando acordou, todo o corpo estava paralisado.

A história ganhou páginas de jornais australianos e espaço em programas de TV do país, mostrando os cuidados da mãe, Katie, com o jovem paralisado. Ballard perdoou os amigos que o provocaram a engolir a lesma, e eles continuaram a fazer parte do dia-a-dia do ex-jorgador de rúgbi.

Segundo relato da jornalista Lisa Wilkinson, apresentadora de um programa de televisão que retratou a vida de Ballard, o rapaz passou os últimos dias de vida cercado pelos amigos e da mãe.

Fonte: G1

Será? Cientistas dizem que objeto interestelar pode ter sido enviado à Terra por alienígenas

Cientistas do Centro de Astrofísica de Harvard acreditam que o asteroide ‘Oumuamua’, objeto interestelar descoberto no ano passado no Havaí, pode ter sido enviado à Terra por alienígenas. Eles levantaram a hipótese em artigo publicado na quinta-feira (1), quando tentavam explicar a aceleração do objeto.

Os astrofísicos admitiram a possibilidade de que a rota do Oumuamua tenha sido direcionada, e não aleatória. “Pode ser uma sonda totalmente operacional enviada intencionalmente para as proximidades da Terra por uma civilização alienígena”, dizem.

O asteroide ‘Oumuamua’ pode ser uma nave alienígena, segundo cientistas

A possibilidade da sonda direcionada por extraterrestres explica uma discrepância na frequência com que o objeto é visto, explica Renato Vicente, físico e vice-presidente do Instituto Principia, em São Paulo.

“O fato de a gente ter visto o objeto significa que a produção deles é muito mais frequente do que a gente achava que era. Ao longo do período de tempo que estamos observando, que é curto, a produção deveria ser, no mínimo, 100 vezes maior para conseguirmos ver um. Isso pode significar três coisas: a primeira é que a teoria de produção deles que nós usamos, baseada no nosso sistema solar, está errada. A segunda é que demos muita sorte de ver um. A terceira possibilidade é que é um objeto artificial, produzido por alienígenas, o que é compatível”, diz.

Vicente faz, no entanto, algumas ressalvas. “A explicação do objeto artificial parece fácil, mas não é. Envolve uma história anterior. Para ter uma civilização capaz disso, é preciso assumir que existe essa evolução numa sociedade, com a capacidade de fazer viagens interestelares. E a gente tenta assumir a menor quantidade de coisas possível”, lembra.

Na pesquisa, os astrofísicos de Harvard discutiram a possibilidade de que a pressão da radiação solar poderia estar por trás da aceleração do Oumuamua. Se esse for o caso, então o objeto “representa uma nova classe de material interestelar fino, ou produzido naturalmente, ou de origem artificial”, afirmam Abraham Loeb e Shmuel Bialy, autores do estudo.

Segundo eles, o Oumuamua tem um formato de panqueca.

“Considerando uma origem artificial, uma possibilidade é de que o ‘Oumuamua’ seja uma vela solar, flutuando no espaço interestelar como detrito de um equipamento tecnológico avançado", explicam os pesquisadores.

A tecnologia de vela solar pode ser utilizada para transporte de cargas entre planetas ou entre estrelas, conforme afirmam os cientistas. No primeiro caso, lançamentos dinâmicos vindos de um sistema planetário poderiam resultar em detritos de equipamentos que não estão mais em operação. Isso, dizem os pesquisadores, poderia explicar várias anomalias do ‘Oumuamua’, como a geometria pouco comum.

"Velas solares com dimensões parecidas já foram construídas pela nossa civilização, incluindo o projeto Ikaros [no Japão], e a Iniciativa Starshot”, lembram.

A vela solar é o que faria o objeto continuar acelerando em sua trajetória mesmo depois de passar pelo Sol, explica Renato Vicente.

Gif da Nasa com o movimento do Oumuamua. — Foto: Nasa

“O objeto vem de fora do Sistema Solar. É como se fosse passar direto pelo Sol, mas o efeito gravitacional faz com que faça uma trajetória em volta do Sol. Conforme se aproxima do Sol, ele dá uma acelerada conforme perde massa no sentido oposto. O problema é que, quando está indo embora dessa trajetória, começa a perder massa no mesmo sentido, então você espera que ele desacelere. Em vez disso, acelera. A gente não conhece nenhum mecanismo natural que faça isso. Um mecanismo artificial é a vela”, diz.

Segundo a CNN, vários telescópios focaram no objeto por três noites para determinar o que ele era antes que se perdesse de vista.

“Nós tivemos muita sorte de que o nosso telescópio de levantamento do céu estava olhando para o lugar certo na hora certa para capturar esse momento histórico”, afirmou o oficial da Nasa Lindley Johnson no ano passado.

Fonte: G1

terça-feira, 23 de outubro de 2018

China inaugura a maior ponte marítima do mundo

A China inaugurou nesta terça-feira(23) a maior ponte marítima do mundo que, incluindo as estradas de acesso, tem 55 quilômetros de comprimento e custou U$$ 20 bilhões de dólares(equivalente a R$ 73,7 bilhões). Ela liga Hong Kong a Macau e à cidade chinesa de Zhuhai.

A Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, na China, a maior ponte marítima do mundo

A ponte tinha prazo inicial de conclusão o ano de 2016, mas acabou atrasando dois anos por causa da escassez de mão de obra e de materiais de construção.

A falta de segurança também marcou a execução da mega obra, pelo menos 18 trabalhadores morreram na construção.

Ela foi projetada para resistir a tufões e terremotos, em sua construção foram usadas 400 mil toneladas de aço, o suficiente para erguer 60 torres Eiffel.

Cerca de 30 km do seu comprimento total atravessa o mar do delta do Rio das Pérolas. Para permitir a passagem de navios, uma seção de 6,7 km no meio mergulha em um túnel submarino que passa entre duas ilhas artificiais.

As seções restantes são estradas de ligação, viadutos e túneis terrestres que conectam Zhuhai e Hong Kong à ponte principal.


A China construiu a ponte com o objetivo de criar uma Grande Área de Baía, incluindo Hong Kong, Macau e outras nove cidades no sul da China - na esperança de competir com as de São Francisco, Nova York e Tóquio.

A área é atualmente habitada por 68 milhões de pessoas. E a expectativa é transformá-la em uma zona econômica com ênfase em tecnologia, como uma espécie de concorrente ao Vale do Silício dos Estados Unidos.

Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau em frente à Ilha Artificial Oriental em Hong Kong

Mas não é qualquer um que poderá atravessar a ponte, quem quiser atravessá-la terá que obter licenças especiais, distribuídas por um sistema de cotas. E todos os veículos pagam pedágio.

Fonte: G1, via BBC

Navio grego de mais de 2 mil anos é encontrado preservado no fundo do Mar Negro

Pesquisadores encontraram um navio mercante grego de aproximadamente 2,4 mil anos em boas condições de preservação na costa da Bulgária, no que já é considerado o naufrágio intacto mais antigo do mundo.

Navio grego de mais de 2 mil anos foi encontrado no fundo do Mar Negro /
Foto: Black Sea Map/Eef Expeditions/BBC

A embarcação, que tem 23 metros de comprimento, data de 400 a.C. e era usada para fazer o trajeto entre colônias gregas e mediterrâneas pelo Mar Negro.

O leme, bancos e até partes do porão estão praticamente intactos, por uma particularidade das profundezas em que o navio foi encontrado: a mais de 2 mil metros, o oxigênio no ambiente marinho é mínimo, o que permite que materiais orgânicos fiquem preservados por milhares de anos.

O navio só foi descoberto graças a um projeto que usa câmeras feitas especialmente para filmagem em águas profundas - antes usadas na exploração de campos marítimos de petróleo -, acopladas a robôs para mapear o leito marinho.

Os cientistas também ficaram impressionados com o fato de o navio ter grande semelhança com o desenho de uma embarcação que ilustra um vaso da Grécia Antiga, parte da coleção do Museu Britânico.

Datado de cerca de 480 a.C., o vaso mostra Ulisses amarrado ao mastro de seu navio, enquanto navega pela região das três ninfas marítimas míticas - rezava a lenda que o canto dessas ninfas levava os marinheiros a saltar do navio para a morte.

Navio se parece com embarcação em desenho que ilustra vaso da Grécia Antiga

O Projeto Arqueológico Marítimo do Mar Negro já identificou, em três anos, 67 navios naufragados na mesma região, inclusive embarcações mercantes da era romana e um navio cossaco do século 17.

No caso do navio grego recém-descoberto, um veículo operado remotamente (ROV, na sigla em inglês) com câmeras acopladas obteve imagens 3D da embarcação e coletou uma amostra para que os acadêmicos pudessem identificar quando o naufrágio ocorreu.

A descoberta ocorreu a 80 km da cidade búlgara de Burgas. A carga transportada pelo navio ainda é desconhecida, e a equipe do projeto diz que será necessário financiamento para voltar a operar no ponto exato do naufrágio.

Fonte: G1, via  BBC

domingo, 23 de setembro de 2018

Quando surgiu o transporte público?

A rotina das cidades grandes costuma ser desgastante, ainda mais para quem tem que usar transporte público, que costuma ser superlotado. Mas embora as criticas, você já imaginou como seria a vida sem o transporte público? Veja abaixo como surgiu esse meio de transporte tão importante para quem vive em grandes cidades.

O transporte público surgiu há muito tempo, no século 17,  mais precisamente em 1662, em Paris, França. Quem teve a grande ideia de criar o transporte público foi o francês Blaise Pascal(1623-1662), considerado um dos grandes pensadores da humanidade.

O transporte público começou com carruagens no século 17

Conhecido por seus teoremas matemáticos e tratados filosóficos estudados até hoje, poucas pessoas sabem que, no século 17, o matemático, que inventou a primeira máquina de calcular da história, criou algo que também mudaria para sempre a vida das pessoas nas grandes cidades: o transporte coletivo.

Naquela época, Paris já era uma grande cidade com cerca de meio milhão de habitantes, mas as pessoas que não tinham meios próprios se deslocavam de um lugar para outro, na maior parte das vezes, a pé.

Para facilitar a vida dos cidadãos, Pascal desenvolveu um sistema de transporte urbano de carruagens com itinerários fixos, tarifa e horários regulares. O filósofo sugeriu ao duque de Roaunez pedir permissão ao rei Luis 14 para explorar o serviço, no que foi atendido.

A passagem do sistema pioneiro custava cinco "sols", oriunda de "sou", moeda que circulava na França na época de Luis 14. Eram três linhas iniciais. A primeira servia entre a porte Saint-Antoine e o Luxembourg e começou a operar em 18 de março de 1662.

Blaise Pascal(1623-1662) criou o transporte público, em Paris

Em 11 de abril foi inaugurada a segunda linha, que ia da Rue de Saint-Antoine até a Rue Saint Honoré. A terceira e última rota foi aberta em maio daquele ano e ligava o bairro de Montmartre ao Luxembourg.

A novidade foi um sucesso entre a população parisiense, conforme depoimento da própria irmã de Pascal, Gilberte Pérrier, presente ao evento de inauguração:

"O 'estabelecimento' iniciou sábado às sete horas da manhã, mas com um brilho e pompa maravilhosos. Distribuíram-se as sete carruagens que ocuparam esta primeira rota", registrou Gilberte.

Decreto do rei Luis 14 autorizando o transporte coletivo em Paris

Mas na viagem inaugural já começaram os conhecidos problemas de mobilidade urbana e transporte enfrentados pela população até hoje.

"A coisa obteve tanto sucesso que, desde a primeira manhã, havia uma quantidade de carruagens cheias; mas, depois do almoço, havia uma multidão tão grande que não se podia se aproximar delas, e os outros dias foram iguais. De modo que o maior inconveniente delas é aquele temido: a multidão nas ruas esperando uma carruagem, mas quando ela chega está cheia."

"Havia alguns (passageiros) que diziam que ele foi perfeitamente bem inventado, mas que era uma grande falha só ter sete carruagens na rota, e que elas não davam nem para a metade das pessoas que dela necessitavam", completou a irmã de Pascal - ele, por causa da saúde precária, morreu no mesmo ano em que o seu invento foi para as ruas, aos 39 anos.

O sistema funcionou por mais alguns anos, mas devido a problemas como a administração, foi encerrado e só surgiria novamente na Europa muito tempo depois.

O transporte público sobre rodas renasceria muito longe da França, mais precisamente no Brasil. "Criamos o segundo projeto de transporte coletivo no mundo", diz Eurico Galhardi, pesquisador e presidente do conselho diretor da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU).

A chegada da Família Real ao Brasil, em 1808, instituiu a cerimônia do "beija-mão", em que os súditos iam até a Corte para agradar o rei chegado de Portugal. O problema era a distância a ser percorrida pelo povo para chegar à cerimônia no palácio e tentar alguns favores, perdões ou mesmo benefícios reais.

Para resolver isso, em 18 de agosto de 1817 o rei D. João 6º assinou um decreto que autorizava um dos empregados da Corte, Sebastião Surigué, a explorar um serviço de carruagens entre o Paço Imperial, no centro do Rio de Janeiro, e a Fazenda Santa Cruz, a cerca de 50 quilômetros e uma das residências oficiais da Família Real.

"Esse decreto é uma verdadeira certidão de nascimento do transporte coletivo no Brasil", diz Galhardi. Os veículos eram puxados por quatro animais, os lugares eram numerados e as passagens custavam oito réis.

Uma segunda linha de carruagens para facilitar o "beija-mão" ligava o Paço Imperial à Quinta da Boa Vista, outra residência oficial da Família Real e que abrigava até recentemente o Museu Nacional, destruído por um incêndio em setembro de 2018.

Fonte: Uol, via BBC

sábado, 22 de setembro de 2018

12 famosos que apoiam Bolsonaro

Líder isolado nas pesquisas eleitorais Jair Bolsonaro é amado e odiado por muitos no mundo dos famosos, conheça abaixo 13 famosos que apoiam Bolsonaro:

Zilu Camargo


A ex-mulher de Zezé di Camargo, Zilu, disse em entrevista para a Folha de São Paulo que o Brasil precisa de um choque para mudar, de um presidente que priorize os brasileiros, como acredita que o presidente Donald Trump tem feito nos Estados Unidos: "Vou de Bolsonaro na cabeça. Gosto muito e vou votar nele. Acredito que o país precisa levar um choque para mudar. E ele é a pessoa que bate pesado".

Pepê e Neném


Dupla de sucesso nos anos 1990 e inicio dos anos 2000, apesar de serem homossexuais, Pepê e Neném também declararam apoio a Bolsonaro.

Felipe Melo


Felipe Melo, jogador do Palmeiras, é um grande apoiador de Bolsonaro no meio esportivo, recentemente saiu em defesa de Lucas Moura, alvo de criticas após declarar apoio a Bolsonaro, e também dedicou um gol a Bolsonaro: "...esse gol vai para o nosso futuro presidente Bolsonaro", por causa disso a Globo resolveu não entrevistá-lo mais ao vivo.

Lucas Moura


Outro jogador que apoia Bolsonaro é Lucas Moura, ex-São Paulo, recentemente saiu em defesa de Bolsonaro no Twiter e acabou virando alvo de criticas, a polêmica do apoio ao polêmico deputado, considerado por críticos como de extrema direita, virou assunto até na Inglaterra, onde joga pelo Tottenham.

José Aldo


O lutador José Aldo é outro que já declarou apoio a Bolsonaro.

Ratinho


Embora não tenha declarado explicitamente apoio a Bolsonaro, Ratinho já insinuou votar no deputado: "Me falaram que o Bolsonaro é louco, mas eu pergunto: no meio dessa zona toda será que um louco não seria melhor? Ando pensando nisso.".

Alexandre Frota


Alexandre Frota é de longe um dos mais apaixonados apoiadores de Bolsonaro, ele declarou em sua biografia no Twiter: "Alexandre Frota Anti PT um soldado escolhido por Bolsonaro. Luta Contra Corrupção, a minha luta e a sua são iguais. Por um Brasil Livre".

Antônia Fontenelle


Antônia Fontenelle também declarou apoio a Bolsonaro: "...estou torcendo, sim, para que o Jair Bolsonaro seja presidente desse país. Sou mulher, sustento meus filhos, ajudo na criação da minha neta, não gosto de vitimismo”.

Eduardo Costa


O sertanejo Eduardo Costa em 2016 gravou um vídeo e o divulgou em suas redes sociais em que dizia que o deputado era "o único diferente" e também o único que o representava no cenário atual da política brasileira.

Gustavo Lima


Outro artista do mundo sertanejo que apoia Bolsonaro é Gustavo Lima, ao publicar um vídeo praticando tiro com um fuzil ele disse em apoio a Bolsonaro: "Hoje em dia no Brasil só está desarmado o cidadão de bem. Revogação do Estatuto do Desarmamento já… Nossas família e nossas casas protegidas. Tarde no clube de tiro."

Amado Batista


O cantor Amado Batista, que foi preso e torturado na ditadura, também declarou apoio a Bolsonaro, que apoia a ditadura: "Democraticamente, [o próximo presidente] tem que ser Jair Bolsonaro...Prefiro a ditadura à essa anarquia que está hoje. Adoro a democracia, mas como nos Estados Unidos, onde as leis são cumpridas.”.

sábado, 1 de setembro de 2018

As 20 melhores séries de filmes de suspense e terror

Todos os anos são lançados dezenas de novos filmes de suspense e terror, mas apenas alguns poucos conseguem se tornar tão bem sucedidos ao ponto de originarem sequências com vários filmes, segue abaixo uma lista com as 20 melhores séries de filmes de suspense e terror:

O Chamado


Uma das melhores séries de filmes de suspense, o Chamado já tem três filmes e estreou em 2002. O Chamado gira em torno do fantasma de uma garota que misteriosamente surge para quem assiste a uma fita de vídeo. O Chamado 1 e 2 é estrelado por Naomi Watts, que interpreta a protagonista Rachel, ela decide investigar a morte de sua sobrinha e descobre que quatro adolescentes morreram misteriosamente sete dias depois de assistir a um vídeo com imagens assustadoras. Ela tentará solucionar o mistério e impedir que a profecia se realize, já que ela e seu filho também assistiram ao vídeo.

Pânico


A série de filmes Pânico foi lançada em 1996 e tem quatro filmes, o último lançado em 2011. Os filmes giram em torno de um misterioso assassino mascarado chamado de Ghostface, que testa os conhecimentos de suas vitimas fazendo perguntas sobre filmes de terror, quem errar, morre. Os acontecimentos se passam na fictícia cidade de Woodsboro. A série de filmes é estrelada por Neve Campbell, que interpreta a protagonista Sidney Prescott, além de David Arquette e Courteney Cox.

Sexta-Feira 13


Uma das maiores séries de filmes de terror, Sexta-Feira 13 estreou em 1980 e gira em torno do assassino em série Jason Voorhees, a sequência já tem 12 filmes, incluindo Freddy vs. Jason.

O Grito


O Grito é uma série de três filmes lançada em 2004 e que na verdade faz parte de uma outra série de filmes produzida no Japão chamada Juon que foi lançada em 2002. Eles falam sobre uma maldição folclórica japonesa, a qual diz que quando uma pessoa morre num momento de extremo ódio, uma maldição nasce, tomando a forma das vítimas e habitando o local da morte, assombrando e matando qualquer um que entre em contato com ela.

Halloween


Tudo começou com Halloween - A Noite do Terror, lançado em 1978, e desde então já foram produzidos 11 filmes no que se tornou uma das mais longevas séries de filmes de terror, o último deve ser lançado ainda em 2018. Halloween gira em torno do assassino em série Michael Myers.

It: A Coisa


It: A Coisa ainda não é uma série de filmes porque até agora só foi feito um, lançado em 2017, mas tudo indica que deve se tornar em breve, o segundo filme deve ser lançado em 2019 e já está sendo produzido. It: A Coisa gira em torno de Pennywise, um palhaço assassino que há séculos tem deixado um rastro de sangue e mistério.

Brinquedo Assassino


Estrelada pelo famoso bonequinho psicopata Chucky, Brinquedo Assassinofoi lançada em 1988 e já conta com 7 filmes na franquia. Chucky é um boneco que foi amaldiçoado por um serial killer e ganhou vida se tornando um perigo assassino.

O Exorcista


O Exorcista foi lançado em 1973 e hoje a sequência conta com cinco filmes, o último produzido foi Domínio: Prequela do Exorcista, lançado em 2005.

Resident Evil


A série de filmes Resident Evil foi lançada em 2002 e tem 6 filmes, na franquia os humanos foram transformados em zumbi por um perigoso vírus e os poucos a resistires lutam contra a Umbrella Corporation, a franquia é estrelada por Milla Jovovich, que interpreta a protagonista Alice.

Amityville


A série de filmes Amityville começou em 1979 com o lançamento de Terror em Amityville, desde então já foram produzidos dezoito filmes, é a maior série de filmes de terror, Amityville: O Despertar, o último produzido, foi lançado em 2017, mas já se fala no 19º filme, que deve se chamar The Amityville Murders.

Além destas dez tem muitas outras que alcançaram grande sucesso com vários filmes: Olhos Famintos, 3 filmes; Premonição, 5 filmes; Sobrenatural, 4 filmes; Pânico na Floresta, 6 filmes; Atividade Paranormal, 6 filmes; Poltergeist, 3 filmes; A Hora do Pesadelo, Freddy Krueger já aterrorizou as pessoas em 9 filmes; Invocação do Mal, 5 filmes, incluindo os dois de Annabelle e A Freira; O Massacre da Serra Elétrica, 8 filmes; Pânico no Lago, 5 filmes.

domingo, 26 de agosto de 2018

Cinco filmes brasileiros que valem a pena assistir

Os brasileiros não gostam muito de assistir filmes nacionais, dizem que filmes brasileiros não prestam, pode até ser que a maioria seja lixo, mas há muitos que valem a pena assistir, veja abaixo cinco deles:

Abril Despedaçado

Imagem de Rodrigo Santoro em Abril Despedaçado

Esse filme tem como protagonista Rodrigo Santoro, que interpreta Tonho, um jovem que vive no sertão nordestino com sua família, que tem uma rixa com uma família rival, ele terá que vingar a morte de seu irmão mais velho morto pela família rival, mas Tonho sabe que se fizer isso será perseguido e terá pouco tempo de vida. O filme se passa em 1910 e conta um pouco das rixas familiares no sertão nordestino em um tempo em que as coisas eram resolvidas na bala. Foi lançado em 1 de maio de 2002 e é dirigido por Walter Salles.

O Cangaceiro

O Cangaceiro

O Cangaceiro foi lançado em 1997 e conta a história de um quarteto amoroso entre um cangaceiro, sua mulher, que é apaixonada por um de seus  homens, que por sua vez se apaixona por uma moça de uma família de um prefeito que foi sequestrada e que ele tentará libertá-la. O filme é um remake do clássico do cinema nacional O Cangaceiro, produzido nos anos 50. Tem em seu elenco nomes como Luíza Tomé, Paulo Gorgulho, Othon Bastos e Otávio Augusto.

O Shaolin do Sertão´

O Shaolin do Sertão

O Shaolin do Sertão conta a história de Aluízio Li, um aficionado e alienado por filmes de artes marciais que vive no interior do Ceará nos anos 80, ele vê seu mundo lúdico e inocente em xeque quando um lutador profissional aposentado resolve desafiar todos os valentões da cidade. Foi lançado em 13 de outubro de 2016

O Auto da Compadecida

O Auto da Compadecida

O filme mostra as aventuras de João Grilo(Matheus Nachtergaele) e Chicó(Selton Mello), dois nordestinos pobres que vivem de golpes para sobreviver. Eles estão sempre enganando o povo de um pequeno vilarejo no sertão da Paraíba, inclusive o temido cangaceiro Severino de Aracaju, que os persegue pela região. Somente a aparição da Nossa Senhora poderá salvar esta dupla. Foi lançado em 15 de setembro de 2000.

Hans Staden

Imagem do filme Hans Staden

Esse ótimo filme nacional conta a história de Hans Staden, um explorador alemão que foi capturado por índios tupinambás no século 16 e quase foi devorado. Foi lançado em 1999.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Mulher foi atingida por raio duas vezes e sobreviveu

Já imaginou qual a probabilidade de ser atingido por um raio, com certeza as chances são muito pequenas e ainda menores seria ser atingido duas vezes e ainda por cima exatamente um ano após ser atingido pelo primeiro raio, mas isso aconteceu com a americana Beth Peterson, de 49 anos, ela compartilhou sua história em uma reportagem da BBC:


"A chuva encharcou minhas botas e meu coração bateu forte no peito quando um raio partiu uma árvore a 50 metros de mim. Não houve avisos, exceto pelas nuvens negras que cobriam o céu.

Antes que eu pudesse buscar abrigo, um forte raio de luz me atravessou e me jogou a uma distância de mais de 9 metros, sobre um piso de concreto.

Sentia cada centímetro de mim ardendo, ardendo com eletricidade, me matando. Então, tudo ficou escuro.

Eu tinha 24 anos, era soldado do Exército em Fort Benning, na Geórgia. Naquela noite, eu estava inspecionando munições em um depósito com um colega. Ele tentou me reanimar, mas foram os paramédicos que me ressuscitaram depois que o raio - que subiu pelos meus pés, atravessou meu corpo e saiu pela minha boca e cabeça - fez meu coração parar de bater por um curto período.

Quando cheguei ao hospital, os médicos ficaram surpresos com o fato de eu ter sobrevivido. Eu estava semiconsciente, me perguntando se alguém havia disparado ou atirado um explosivo contra mim.

Não podia falar porque minha mandíbula estava quebrada. Não conseguia entender o que me diziam por causa de uma lesão cerebral grave. Não conseguia andar porque os vasos sanguíneos dos meus pés estavam completamente destruídos.

Estava feliz por estar viva, mas minha vida havia mudado para sempre.

Fiz 12 cirurgias para reconstruir minha mandíbula e os dedos dos meus pés foram amputados.

Lentamente, reaprendi a ler, escrever, falar e caminhar - no começo usava muletas e depois, quando fiquei mais forte, passei a usar os músculos do abdômen para manter o equilíbrio.

Me sentia impotente, mas, a cada sinal de recuperação - como falar o alfabeto e completar operações matemáticas básicas - renascia a esperança.

Além de enfrentar a reabilitação física, fui diagnosticada com um transtorno de estresse pós-traumático e tive que me tratar com um psicólogo.

Beth Peterson foi atingida por dois raios e sobreviveu

Exatamente um ano depois do dia em que fui atingida por um raio, estava em casa, porque ainda não podia trabalhar, observando a chegada de uma tempestade. Meu psicólogo havia me encorajado a enfrentar meus medos e a não me esconder em casa durante tempestades - por isso, tomei coragem e fui até a varanda.

De repente, senti tudo de novo. A mesma luz, o mesmo ardor agonizante. Fui atirada para dentro de casa, onde meu namorado, David, correu para o meu lado. Antes de perder a consciência, estava convencida de que ia morrer.

A cada ano, mais de 4 mil mortes no mundo são causadas por raios e, aparentemente, as chances de ser atingindo por um raio nos Estados Unidos é uma em 700 mil (no Reino Unido, é de 1 em 10 milhões e no Brasil, de 1 em 1,5 milhão).

Mas não tenho ideia de quais são as chances de uma pessoa ser atingida por dois raios, na mesma data, com um ano de diferença. Nem deve haver essa estatística.

O segundo raio não me feriu fisicamente tanto quanto o primeiro. Como ainda estava em recuperação, os médicos não puderam estimar com precisão a extensão dos danos desse segundo golpe.

Meus dias passaram a ser um fluxo constante de visitas a hospitais e clínicas de reabilitação. Vivia com medo, obcecada por nuvens, chuvas e relâmpagos, examinando o céu constantemente.

Quatro meses depois do segundo raio, já havia recuperado força suficiente para voltar a caminhar usando uma bengala. David, meu namorado, e eu decidimos nos casar. No ano seguinte, tivemos um filho, Casey.

A cada cirurgia, a cada sessão de reabilitação, eles eram a fonte de alegria que me ajudou a superar tudo.

Já se passaram 25 anos e ainda sinto dores. Pode parecer estranho, mas quem já passou por uma amputação vai entender: a dor realmente não vai embora, mas você aprende a conviver com ela.

Ao invés de me concentrar em coisas ruins, faço palestras para outros pacientes com transtorno de estresse pós-traumático e dor crônica.

Em 2013, escrevi um livro sobre como usar a dor para ser mais forte. Os raios podem ter mudado minha vida de uma forma irremediável, mas também me deram um novo propósito: ajudar aos outros.".

Fonte: G1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...